Construção pré-fabricada de edifícios em Cingapura

10 de maio de 2017, Nenhum comentário

Autor: Maurício Bernardes (engenheiro civil pela UNICAMP, especializado na área de administração de empresas pela Fundação Getúlio Vargas, com mestrado na área de tecnologia e gestão da produção pela POLI – USP)

Cingapura, um dos países mais competitivos do mundo, colocou na agenda da modernização da indústria local a utilização de construções modulares para aumentar a produtividade do setor.

Lançado há cerca de quatro anos, o programa governamental para fomentar a pré-fabricação de elementos volumétricos pré-acabados de construção (do inglês, Prefabricated Prefinished Volumetric Construction – PPVC) está alocando cerca de US$ 260 milhões em fundo dedicado ao aumento de eficiência do setor.

Além de disponibilizar recursos financeiros, o governo está organizando, com apoio da universidade americana de Stanford, cursos para empresários, consultores e construtores locais, com foco na integração das fases de projeto e construção por meio de modelagem da informação da construção (do inglês, Building Information Model – BIM) para a construção virtual de modelos.

Além disto o governo daquele país está vinculando a oferta de terrenos em algumas regiões, à utilização de pré-fabricação ou construção modular de edificações, independentemente do uso pretendido.

A agência governamental que promove o programa (BCA – Building and Construction Authority) tem incentivado a criação de fábricas de módulos para a construção (ICPH – Integrated Construction and Precast Hubs). Para se ter uma ideia, um dos Hubs terá a capacidade anual de produzir mais de 100.000 m³ de componentes pré-fabricados, com princípios de automação na produção e na gestão de estoques.

Desde o início do programa, muitas empresas foram certificadas pelo governo para trabalharem com esta abordagem de pré-fabricação em seus negócios.

Um exemplo deste modelo de negócio para produção integrada de módulos e componentes pré-fabricados foi implementado pela empresa local SEF Group em 2015. Com sistema capaz de transformar informações de projeto em comandos de produção de componentes, realiza o transporte de formas, e a distribuição e o adensamento automatizados de concreto.

Leia na íntegra: http://blogs.pini.com.br/posts/tecnologia-sustentabilidade/construcao-pre-fabricada-de-edificios-em-cingapura-377675-1.aspx

Compartilhe essa notícia: